O medo de amar e ser amado

As pessoas deveriam experimentar amar mais vezes na vida, a vida é tão curta para não passar por esta experiência linda.

Amar é um dom, sentimento lindo e nos faz sentir melhor a cada dia.

As pessoas tem medo do amor, a literatura medieval associa o amor como doença, em que uma pessoa fica dependente da outra, se a pessoa amada não o procura, o outro se sente rejeitado.

E quem ama e é correspondido, também sente medo, pois o grau da medida só vai aumentando na medida em que o amor vai crescendo. Então o amor nos faz sentir medo, porque perdemos um pouco o controle racional da vida.

A pessoa apaixonada tem a impressão de que a sua vida depende da outra, por isso que os medievais viam o amor como forma de doença e delírio, mas um delírio maravilhoso.

Deve-se desconfiar de quem fala mal de amor, pois quem fala mal é porque se decepcionou e teve experiências ruins nessa área da vida.

Quando o amor é correspondido ele faz a pessoa se sentir única, feliz e completamente fora de si.

Quem evita o amor, certamente esta se protegendo, esta guardando seus sentimentos e também esta se privando de sentir o que é amar.

É preciso confiar em si mesmo, para que se sinta capaz de tirar experiências positivas de situações não tão positivas assim. No amor podemos encarar desse modo.

Quando nos permitimos amar e ser amado, estamos assumindo os riscos, de decepções e sofrimentos e também de conseguir ser feliz, para isso deve-se realmente se entregar a algo novo.

Pessoas estão acostumadas com a solidão e com a rotina já estabelecida em nosso dia-dia, como, por exemplo, o modo como conduzimos nossas vidas, o horário que costumamos fazer nossas atividades, se costumamos cozinhar todos os dias ou não dentre outros. O medo de enfrentar algo novo, de se doar a alguém e não ter certeza de que o outro parceiro irá se doar do mesmo modo.

Na verdade, não devemos entrar em um relacionamento achando que o parceiro tem obrigação de nos fazer feliz, quando na verdade devemos entrar em um relacionamento pensando em fazer o outro feliz. Desse modo estamos cumprindo com as expectativas do parceiro (a) que consequentemente irá fazer do mesmo modo para que seja feliz.

Não devemos permitir     que o medo nos impeça de ser feliz ou nos tire o direito de sonhar, independente da idade não devemos deixar de sonhar e planejar nossas vidas.

As pessoas com maior idade, ou acredito que pessoas mais maduras têm mais dificuldade de se sentir amada e de se entregar a um amor, um dos fatores pode ser pela estabilidade financeira, a vida já estar digamos que “completa”, elas possuem certa confiança em si mesma, e pouca dependência de alguém, sentem um medo de se aventurar na vida, entrando em um mundo novo de amar e ser amado. Não é que essas pessoas não tenham sentimentos, e sim que pessoas não querem se aventurar em um mundo novo de expectativas nos quais não dependem de nós. Sabe-se de mulheres que hoje em dia tem uma vida estável, ou seja, com casa, carro e profissão, na verdade estão com sua vida construída e tem dificuldade de confiar seus sentimentos a alguém.  Amar não é exclusividade de pessoas jovens, mas esse pensamento é o que faz algumas mulheres se sentirem com menos direitos nessa área.

As mulheres mais maduras precisam mais do que palavras, precisam de provas que deixem se sentir confiante.

Além da dificuldade de confiar no seu parceiro (a), tem a dificuldade de a família aceitar o novo relacionamento, a critica também é uma dificuldade, pois tem que saber lidar com as diferenças.

O amor é uma coisa tão linda, faz as pessoas se sentirem nas nuvens.

A situação de se entregar a um grande amor é mais frequente na juventude, tanto homens como mulheres estão de coração mais aberto para viver uma grande aventura.

Através da Mesa Espiritual Quântica fazemos o diagnóstico e o tratamento necessário, à distância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *