Medo

Vou refletir com você sobre a origem do medo. Segundo Louise Hay, sentimos medo porque não confiamos na vida.

Ela faz comparação com a respiração, porque é uma das coisas mais preciosas que possuímos, não conseguimos passar mais que 3 minutos sem respirar, no entanto, nós confiamos na respiração sem nenhum temor, nunca questionamos de onde virá nossa próxima respiração, mas sabemos que ela virá.

Se pudéssemos confiar na vida da mesma forma que confiamos em nossa respiração estaríamos muito bem na foto.

Temos duas alternativas, a primeira é ficar passivos ante as ameaças que nos cercam ou que imaginamos tornando-nos vítimas do medo adotando atitudes puramente defensivas cercando-nos de grades, e a segunda consiste em tomarmos providências realistas para nos defender de riscos concretos e, sobretudo criar uma nova postura interior de confiança e otimismo.

Esta é uma forma poderosa de vencer o medo deixar de agir como criança e assumir o adulto que somos capazes de iniciativas próprias de assumir a posse do seu ser de afirmar seu desejo de enfrentar desafios e superar obstáculos.

Porém, temos as fobias que são os nossos medos incontroláveis. Os medos incontroláveis são situações que nos deparamos no nosso dia a dia, como é o exemplo do medo de insetos.

Você tem medo de uma barata, mas não se lembra em qual momento dessa atual encarnação adquiriu esse medo.

Quando você se depara com uma barata tem como paradigma a sensação de medo de insetos. Esse medo toma conta de você, lhe sufoca a ponto de não poder controlar suas emoções, lhe tira o equilíbrio e faz tentar fugir da situação.

E uma simples barata vira um monstro terrível, e você não consegue lidar com esta emoção.

E porque que este medo existe?

Nós temos um corpo físico pronto e preparado, com toda estrutura cerebral (pensar, agir, sentir) para resolver qualquer situação emocional que você viva nesta encarnação.

Acontece que uma situação que lhe causa um medo maior do que seu cérebro pode administrar, é porque a causa original desse trauma não está nesta encarnação. Ele está numa outra encarnação. Não importa se uma ou dez encarnações passadas.

Acontece que quando você se vê diante de uma barata, e esse medo toma conta de você, é porque já entrou num processo chamado Ressonância Magnética, entrou em sintonia com a situação do passado, onde viveu uma situação traumatizante com insetos, em geral situação de morte.

A carga traumática gerada naquela situação chega ao seu pensamento instantaneamente. A partir daí, como esta carga emocional é carga extra, porque não faz parte desta encarnação e sim de outra, ela é um peso excessivo pra seu pensamento. Aí você tem a carga da barata do aqui e agora, somada a carga emocional de todas as outras encarnações que sofreu com o trauma. Esse peso excessivo entra na sua mente com a forma de pensar e causa o pânico, porque você não consegue administrar.

Quando isto ocorre, é porque seu sistema eletromagnético, que é chamado de energia prana ou energia vital, etc., entra em desequilíbrio e você entra em curto.

Este sistema eletromagnético é um sistema de energia que nós somos constituídos. O nosso Corpo Físico é um sistema eletromagnético.

Quando no seu campo emocional existe alguma falha na transmutação de energia através dos Chacras você entra em pânico. No momento que você sente um medo incontrolável, que é o trauma, você passa a ter deficiência de magnetismo no corpo físico.

Como resolver isso?

Através da Mesa Espiritual Quântica fazemos o diagnóstico e o tratamento necessário, à distância.

www.radicionista.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *